a lei de gresham

«A ser assim, a lei da economia, conhecida pela lei de Gresham, poderia ser transposta para a vida partidária portuguesa com o seguinte enunciado: os agentes políticos incompetentes afastam os competentes. Segundo a lei de Gresham a má moeda expulsa a boa moeda.» A 27 de Novembro de 2004, o actual Presidente da República assinava … Continuar a ler a lei de gresham

Anúncios

os males da corrupção na economia

Por norma, a linguagem usada por economistas tende a ser muito técnica e muito pouco entendível pelo cidadão comum. Mas existem sempre as excepções que confirmam a regra. "A economia do bem e do mal: a corrupção" é uma dessas excepções. De forma clara, explica como a corrupção também pode ser vista e estudada por … Continuar a ler os males da corrupção na economia

“amigo dos clientes”

«O modelo de gestão da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo é considerado pelos seus dirigentes como “o mais amigo dos clientes e o que melhor defende os interesses dos cidadãos”, pois considera a água como bem fundamental e está blindado estatutariamente à entrada de accionistas privados. Essa tese foi defendida pelos presidentes das Câmaras Municipais … Continuar a ler “amigo dos clientes”

é o “libération”, não o “le figaro”

«Um político "duvidoso", "sempre borderline", "sanguíneo, autoritário e de estilo cintilante à la Sarkosy". É assim que o jornal francês "Libération" descreve José Sócrates, num artigo, publicado esta quinta-feira, sobre a detenção do ex-primeiro ministro português.» (daqui) Se tivesse sido o "Le Figaro" a escrever estes epítetos, por certo que não faltariam críticas vindas dos … Continuar a ler é o “libération”, não o “le figaro”

“mas eu não sou juíz”

Subscrevo na íntegra: «Claro que José Sócrates continua presumível inocente aos olhos da justiça, e assim continuará até ao trânsito em julgado da sentença. Claro que a presunção de inocência é pedra angular de uma democracia decente e de qualquer sistema judicial digno. Mas eu não sou juiz, nem polícia. Sou um cidadão e um … Continuar a ler “mas eu não sou juíz”