para que a memória perdure

0507-Germany-Auschwitz-guard_full_600Há outros, mas o extermínio de judeus e de outras minorias pelo regime nazi ficará para sempre associado a Auschwitz (ou a Auschwitz-Birkenau), onde morreram entre um milhão e 1.500.000 de pessoas.

Foi libertado há 70 anos pelos soviéticos!

Auschwitz-birkenau-main_trackO “Expresso” recuperou, dos seus arquivos, um texto escrito em 1995, quando se comemorava o cinquentenário da libertação do campo, «onde alguns dos sobreviventes evocam o drama e se reflete sobre um episódio julgado impensável.»

«Mal foi terminado o campo de Auschwitz, concebido inicialmente como “ligeiro”, logo se transformou num campo de extermínio. Ainda durante a fase de construção, entre Março de 1941 e finais de Janeiro de 1942, desapareceram do campo sem deixar rasto 18 mil prisioneiros. Não era em vão que o subcomandante do campo, Karl Fritz, costumava dizer aos recém-chegados: “Isto não é um sanatório, mas sim um campo de concentração alemão; daqui não se sai senão pela chaminé.” De facto, os presos morriam de fome devido à tortura e ao trabalho extenuante, sendo os corpos cremados.»