os diferentes “25 de abril”

25_de_Abril_sempre_Henrique_Matos«Mas as circunstâncias políticas permitiram a sobrevivência de um terceiro “25 de Abril” – uma espécie de via intermédia entre o “25 de Abril” comunista e o “25 de Abril” liberal e democrata. A definição deste “25 de Abril” não é fácil porque é feito de aparências e de realidades escondidas. É o “25 de Abril” que aparentemente aceita a economia de mercado mas recusa a revisão de uma Constituição a “caminho do socialismo” – mostrando de resto como vive bem com a hipocrisia. É o “25 de Abril” que aparentemente defende o pluralismo político, mas concede ao PS uma espécie de direito natural à Presidência da República – como se tem visto com todos os ataques à legitimidade do Presidente Cavaco Silva. É o “25 de Abril” que promoveu o “capitalismo de Estado”, dando ao governo um lugar central na condução da economia do país – com o PM e ministros a intervirem directamente em decisões a empresas e bancos, e muitas vezes privados – e que aceitou e conviveu com uma economia de privilegiados e de monopólios. É o “25 de Abril” que utiliza o “Estado social” para controlar a liberdade de escolha dos cidadãos portugueses, para impor impostos inaceitáveis e para empregar militantes partidários no aparelho do Estado.» (daqui)