valores que valem muito

rede regional«A respeito da austeridade, e aos que sugerem a genial solução do calote, deveriam ter vergonha na cara. Não pelo discurso puramente populista e demagógico, mas por transmitirem a um povo a opinião de que valores que nos foram transmitidos pelos nossos progenitores, como a responsabilidade, a honestidade, a integridade, a credibilidade e a honradez de pouco valem. Lá por alguns pais não terem valor como avalistas dos filhos quando eles precisarem de contrair um empréstimo para a compra da casa, não significa que as gerações vindouras aceitem que os atuais protagonistas políticos manchem o bom nome de Portugal e que comprometa o seu próprio futuro.

Todos nós, e a título pessoal, já fizemos sacrifícios que valeram a pena e que agora nos orgulhamos.

Portugal também os fez. Não se pode orgulhar dos custos sociais, mas deixou um legado de competência, responsabilidade e credibilidade. Se isso não vale de nada, então deveríamos que repensar a educação que queremos repassar aos futuros cidadãos deste País.» (daqui)

Anúncios

os lunáticos

«Pobre Grécia. Décadas consecutivas de governos que permitiram a corrupção, alimentaram clientelas variadas e se tornaram representantes de interesses ilegítimos que capturaram o Estado, levando o país à bancarrota. Um resgate financeiro mal desenhado e pior executado, que não resolveu a emergência financeira, apesar de 240 mil milhões de empréstimos e de um perdão de metade da dívida. E agora um grupo de lunáticos legitimamente eleito, que coloca a ideologia extrema à frente dos mais básicos interesses do povo, que em apenas cinco meses voltou a fazer cair uma economia que começava, lenta e dolorosamente, a crescer, que já provocou o encerramento dos bancos e o racionamento de dinheiro, que está a pagar as pensões a conta-gotas, falhou o pagamento ao FMI e lançou o caos num país massacrado.

Já vimos este filme várias vezes, em vários cantos do mundo, em vários tempos. Há radicalismos ideológicos que, de tão iluminados que são, cegam quem tente olhar para eles para lhes ver a virtude.» (daqui)