a corrupção e a crise

armando vara«Sob a manta do banco do Estado, eram facilitados negócios ruinosos e montados esquemas que permitissem aos intervenientes receber o seu quinhão.

Extremamente relutante na concessão de crédito a tantos negócios de pequena e média dimensão, fundamentais para o crescimento do País, ou até para aposta na formação e na ciência, a Caixa não hesitou, no entanto, em envolver-se nestes ruinosos negócios. Já não bastava percebermos que a corrupção viciou, durante anos, a cultura política. Compreendemos agora que está na origem da grave crise cujos terríveis efeitos na qualidade de vida dos portugueses ainda se fazem sentir a todos os níveis. E isto é ainda a ponta de um gigantesco iceberg.» (daqui)
Anúncios

cancros (3)

«Tenho um absoluto respeito pela coragem daqueles que conheço que passam ou passaram pelo mesmo. Pelo meu colega de liceu Tiago, que acabou por não resistir, pelo meu colega de partido Ricardo, que luta pela vida com um sorriso na boca e com uma força que nunca vi, pelo miúdo de oito anos que entrou confiante, mas pálido e sem cabelo, no mesmo consultório que eu na semana passada ou pelo Manuel Seabra, do PS, que conheci e nunca perdeu a boa disposição.

No fundo, é o que pretendem. Ter uma vida normal. Os episódios que tomaram conta das redes sociais a semana passada sobre a mulher de Passos Coelho são do mais baixo que pode existir em termos de humanidade. O meu pai se fosse vivo dizia que eram uns filhos da puta! Mas isso era o meu pai…» (daqui)