política vs. politiquice

Duarte-Marques-PSD«Quero com este texto prestar homenagem a um Ministro e a uma equipa do Ambiente que nos últimos 3 anos resolveram, ou deram início à resolução, dos mais graves problemas ambientais do distrito de Santarém. Sei que não foi assim apenas no Ribatejo, mas também um pouco por todo o país, mas presto testemunho daquilo a que tive o privilégio de assistir e também de orgulhosamente contribuir. Além do papel de Jorge Moreira da Silva, o que foi determinante e que nos serve de lição para o futuro é um traço comum em praticamente todos estes casos: Deputados e autarcas de partidos diferentes souberam olhar para os problemas e procurar uma solução em conjunto, com política mas sem politiquice, com coragem e sem demagogia, com rigor mas também com muita criatividade. A terminar o meu mandato como Deputado do PSD eleito pelo distrito de Santarém esta é, provavelmente, a melhor lição que aprendi.» (daqui)

Anúncios

calculismo

Marcelo-Rebelo-Sousa«Recentemente, vimo-lo a solidarizar-se com os gregos durante as negociações com os credores, parecendo mais próximo da linha do Syriza do que dos parceiros europeus, e a criticar duramente o governo de Passos. O que terá levado o professor a assumir estas posições aparentemente contraditórias com as convicções da sua família política?
Penso que há uma explicação simples para isso. Como ilustre figura do PSD, Marcelo acredita ter garantidos os votos do eleitorado de direita. Ao criticar o governo, agrada aos insatisfeitos (que são muitos) e espera porventura conseguir conquistar eleitores à esquerda, o que lhe permitiria fazer o pleno e obter uma vitória confortável nas presidenciais.

Mas há um perigo que Marcelo talvez não esteja a acautelar. Se, por algum momento, o comentador não for fiel às suas convicções e os telespectadores se aperceberem disso, o calculismo poderá sair-lhe caro. É aquilo a que se chama, em bom português, virar-se o feitiço contra o feiticeiro.» (daqui)