“nós e eles”

«O Portugal de hoje, passados quatro anos de uma violenta crise, é muito diferente. Hoje podemos afirmar que ultrapassámos as dificuldades. Que, mesmo com contestação, ultrapassámos todos juntos a maior crise de que temos memória e, também todos, estamos certos que não podemos repetir a dose.

A economia cresce de forma sustentada e acima da média da UE, o desemprego (ainda elevado) desce consecutivamente, a confiança aumentou. 

Há, por isso, uma diferença abismal entre os dois principais projectos políticos. Se de um lado a coligação assume, com os riscos que isso representa, a continuação de um caminho de crescimento e, ao mesmo tempo, de controlo sem grande festa, do outro temos um PS que divide o país entre “nós e eles”.

Poderá um país afirmar-se com base em tão brutal divisão? “Nós e eles”? É isto o que está em causa.» (daqui)

Anúncios