sim, é possível!

Duarte-Marques-PSD

«(…) apesar de todos os condicionalismos históricos e culturais, é possível um candidato de direita vencer em qualquer concelho do território nacional. Para tal, basta ter qualidade, credibilidade e ser melhor do que os outros. Este resultado prova, mais uma vez, que os eleitores portugueses são inteligentes, que sabem distinguir os atos eleitorais e que não votam apenas no candidato do seu partido. Mais uma boa lição, que todos devemos reter.» (daqui)

Anúncios

um desabafo

Eleicoes-ISCSP-2009Ontem participei numa reunião que serviu para esclarecer aqueles que vão desempenhar, no próximo domingo, funções como membros das mesas de voto. Considero positivo que reuniões como esta se realizem, mesmo para quem, como eu, exerce funções como membro de mesa vai para 25 anos. Para além da troca de experiências, há sempre pequenos pormenores que são limados…

O que retive desta reunião, para além dos esclarecimentos, foi a maior exigência e a maior responsabilidade a que os membros das mesas de voto estão sujeitos, nomeadamente com as operações de apuramento eleitoral estando previstas, inclusivé, coimas para quem não elaborar correctamente a acta do apuramento eleitoral.

Pergunto eu: havendo este crescendo de exigência e de responsabilidade, com a possibilidade dos membros das mesas de voto serem sancionados pecuniariamente por alguma incorrecção depois de mais de 12 horas de trabalho, será que os 50 euros recebidos são suficientes para compensar o trabalho e a responsabilidade que lhes são atribuídos?

sousa gomes (1940-2016)

sousa gomesSe o dia de hoje, 19 de Janeiro de 2016, ficará para sempre na memória dos portugueses como o dia em que faleceu Almeida Santos, ex-Presidente da Assembleia da República e Presidente Honorário do Partido Socialista, o mesmo dia ficará para sempre na memória dos almeirinenses como o dia em que faleceu Sousa Gomes, ex-Presidente da Câmara Municipal de Almeirim.

Apesar de ter discordado, ao longo dos anos, das suas opções e decisões políticas, tenho que reconhecer que Sousa Gomes sempre quis o melhor para o seu concelho e que tudo fez para atingir esse objectivo.

Almeirim e a região estão em dívida para com a sua dedicação à causa pública!

Paz à sua Alma!

 

quatro gramas

A propósito da estapafúrdia ideia de reduzir, para metade, a quantidade de açúcar nos pacotes, relembro um texto que escrevi há oito anos quando entrou em vigor a lei que proibia o fumo em espaços fechados.

prazeres«Recordo, a propósito, um livro de crónicas da autoria do médico Eduardo Barroso, reconhecido cirurgião e sportinguista de alma e coração, intitulado “Prazeres”. Quem olha para a capa do livro, reconhece logo a imagem da marca de charutos cubanos “Cohiba”. Ao longo das crónicas, o autor disserta sobre os prazeres da vida: comer e beber bem, fumar bons charutos, as tertúlias com os amigos, os jogos de futebol do Sporting.

A propósito das proibições e do politicamente correcto, lembro-me duma dessas crónicas, que passo a descrever resumidamente.

Frequentador assíduo do restaurante Gambrinus, numa ocasião, ao entrar para jantar, foram-lhe exigidos os resultados das suas análises clínicas. Só assim poderia aceder ao restaurante. Já lá dentro, consultou a ementa e pediu o seu jantar. Foi-lhe recusado, devido aos valores elevados do colesterol. Fez outro… também não podia ser: os triglicéridos não o permitiam. Enfim, o comensal, que se delicia com o prazer de uma boa refeição, acabou por jantar (se a memória não me atraiçoa) um peixe cozido, sem sal. No final, ao puxar duma cigarrilha, foi-lhe dito que não podia fumar. E café nem vê-lo… apenas um descafeinado. Ordens do novo ministro da saúde, Engenheiro Macário Correia.

Acordou e, felizmente, isto não tinha passado dum pesadelo.

Doze anos depois, o ministro chama-se Correia de Campos e parte do pesadelo já é realidade. Ah!!! Já se fala por aí em reduções dos teores de sal na comida, entre outras ideias estapafúrdias de alguém que não tem mais nada que fazer. Espero que, daqui a doze anos, a admissão a um restaurante não seja baseada nas análises clínicas de cada um.» (daqui)

Pelos sinais que nos vêm sendo dados, neste campo, pelas autoridades nacionais e europeias, caminhamos a passos largos para que o pesadelo descrito por Eduardo Barroso seja uma realidade.

Os problemas de saúde decorrentes, entre outros, do tabagismo, do abuso de açúcar ou de sal na alimentação, devem ser combatidos com informação e com políticas de sensibilização e de prevenção. A uso da repressão e proibição só vai fazer com que, neste caso em particular, quem goste do café com 8 gramas de açúcar passe a usar dois pacotes. A não ser que apliquem coimas ou multas aos comerciantes por disponibilizarem mais que um por cada café servido…

livros que vou lendo (16)

os_reis_da_reconquista_portuguesa

“Assim Nasceu Portugal – Os reis da reconquista portuguesa”, de Stephen Lay

Sinopse:

«Entre o século X e metade do século XIII, Portugal emergiu como um reino independente com fronteiras que se têm mantido, na sua grande maioria, inalteradas até hoje. Este desenvolvimento político ocorreu tendo como pano de fundo a luta entre a cristandade e o mundo islâmico, pelo controlo sobre a Península Ibérica. Também decisivo na formação de Portugal foi o impacto de uma crescente influência europeia por toda a península neste período. Esta influência cultural teve lugar através da imigração, do crescimento de redes comerciais e sociais e da transferência de ideias e de costumes sociais. Os governantes portugueses procuraram mediar esta influência europeia e transformá-la em benefício próprio. No século XII, Afonso Henriques (1128-1185) conseguiu estabelecer a monarquia portuguesa, mas os seus herdeiros Sancho I (1185-1211), Afonso II (1211-1223), Sancho II (1223-1245), e Afonso III (1248-1279) descobriram que o equilíbrio entre a realidade ibérica e as expectativas europeias era cada vez mais difícil de manter.»