o que parece, é

OECD conference

«O primeiro, é que, ao contrário do que em tempos defendeu um outro ex-ministro das Finanças, Pina Moura, a ética não é a lei. A ética é muito mais exigente que a lei e assim deve continuar a ser. No dia em que quisermos prever na lei todos dilemas éticos estaremos a criar uma sociedade em que o livre arbítrio deixará de fazer sentido. Ninguém o deve desejar.

O segundo, é que nunca se deve esquecer a ideia, várias vezes sublinhada por Salazar, de que “em política, o que parece é”. Por isso o comportamento da ex-ministra das Finanças pode ser legal, nem discuto; admito mesmo que não viole nenhum princípio ético, se se comprovar a pertinência do esclarecimento entretanto divulgado pela empresa; mas tudo isto não chega para iludir o essencial, e esse essencial é que “parece muito mal” uma ex-ministra aceitar, menos de três meses passados sobre a sua saída do governo, um lugar numa empresa financeira que gere dívidas. Isso mesmo: dívidas.» (daqui)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.