barreiras arquitectónicas

A história da eliminação de barreiras arquitectónicas contada em três actos!

ACTO I – Dezembro de 2005: a Assembleia Municipal de Almeirim aprova, por unanimidade, uma proposta de recomendação apresentada pelos eleitos do PSD para a «eliminação das barreiras urbanísticas e arquitectónicas, em Almeirim, destinadas a permitir a acessibilidade das pessoas com mobilidade condicionada», com especial incidência para o problemático acesso ao edifício onde se encontravam (e ainda se encontram) instalados os serviços das conservatórias dos registo (edital de deliberações aqui)

ACTO III – Outubro de 2016: iniciaram-se as obras de construção de uma rampa que substituirá as escadas de acesso aos serviços das conservatórias dos registos, permitindo o livre acesso àqueles serviços de cidadãos com mobilidade reduzida.

ACTO II – Onze anos em que muito boa gente com responsabilidades nos destinos deste município, aparentemente, se esqueceu da existência do problema.

 

Anúncios