pegar o touro pelos cornos

225px-Pedro_Passos_Coelho_1«É claro que Passos poderia perder e ver-se obrigado a sair da liderança. Talvez sim, se a derrota fosse muito pesada em termos nacionais. Mas aí teria dado a cara e sairia pela porta grande, dando o corpo às balas num momento difícil, não se furtando a responsabilidades como certos barões que se resguardam no regaço das suas vidas profissionais e das suas aparições mediáticas construídas na política. De facto, se realmente fosse derrotado em Lisboa (que está perdida de antemão), nem por isso Passos teria de ter a sua liderança comprometida, desde que (repete-se) os resultados globais no país fossem aceitáveis. Além disso, nos tempos de hoje, perder eleições nem sempre é um problema, como se prova pela marcha da geringonça que António Costa construiu depois de o PS ter ficado atrás do PSD. Na política há mais vida para além do resultado eleitoral.» (daqui)

Anúncios