défice: o ponto onde estamos

«Do ponto de vista da história dos últimos cinquenta anos, o défice é o sintoma de uma dificuldade que não está resolvida: o desequilíbrio entre, por um lado, os compromissos que o poder político assume para controlar a sociedade e, por outro, a capacidade dos portugueses para criarem riqueza e a colocarem à disposição do … Continuar a ler défice: o ponto onde estamos

Anúncios

não há cheiro de poder

«A economia cresce. O PS pode chegar à maioria. Se não houver surpresas externas (BCE, Grécia, etc.) ou internas (vindas da esquerda ou de Belém), ser líder da oposição é cumprir o desterro do deserto sem perspectiva de um oásis. Quem se atreve ao martírio? No PSD, a tradição não engana: só há candidatos sérios … Continuar a ler não há cheiro de poder