a rejeição das elites

usa-flag«Tudo isto criou um vazio junto das bases operárias, das classes trabalhadoras, dos pobres, dos desempregados, dos desiludidos, que, à falta doutras alternativas, passaram a estar recetivos aos discursos antissistema, quando não xenófobos e primários, pois nada mobiliza melhor os desesperados do que ideias, não necessariamente certas, mas simples de fixar e repetidas até à exaustão.

Numa primeira e ainda muito sumária análise à votação de Trump é justamente o voto em massa do operariado branco inquieto com o seu futuro (nomeadamente em indústrias tradicionais como a siderurgia ou o automóvel) que, juntamente com o voto rural dos estados das montanhas e das planícies do interior e acrescido do voto ultraconservador dos cristãos fundamentalistas ajuda a explicar a diferença de votação relativamente a Hillary Clinton. E que passou pela viragem eleitoral em estados que nos últimos anos tinham votado Obama e pelo operariado a ignorar as diretivas sindicais pró-Hillary.» (daqui)

Anúncios