descrédito completo

«Trump dá muito jeito à geringonça e ao bufão presidencial. A constante histeria sobre os EUA desvia o olhar de Portugal. Olha-se para longe, faz-se uma declaração grandiloquente contra o “ditador” que ameaça a “democracia” enquanto valor abstracto e, no final do dia, dá-se pouca importância aos casos concretos que destroem aqui em Portugal o respeito pela nossa III República.

O caso Centeno é claríssimo a este respeito. Ao não demitir um ministro que mentiu ao pais, Costa contribui para o tal descrédito das instituições que levam à abstenção, ao populismo, etc. O curioso é que muita gente vai defender Centeno numa lógica tribal. Estamos a falar de pessoas que passam o dia inteiro a xingar o novo presidente americano. Trump é uma bela muleta.» (daqui)

Anúncios

o regresso das grandiosas obras públicas

josé gomes ferreira«A doutrina oficial vai pregando que os 700 milhões de euros (700 milhões, coisa pouca!) que o novo Terminal de Contentores do Barreiro vai custar, vão ser pagos pelos investidores privados.

Todos sabemos que não é verdade. Entre financiamentos públicos e garantias de Estado, quem vai pagar é o contribuinte português. Depois, os privados poderão ficar a gerir e a arrecadar os lucros, enquanto o negócio der (o que não é garantido). Se o negócio deixar de dar, vão-se embora e nós ficamos com mais uma PPP às costas.

Foi assim até agora com as PPP rodoviárias, com os terminais multi – modais, com as plataformas logísticas, com o Aeroporto de Beja. Que razão haverá para não voltar a ser assim? Nenhuma…» (daqui)

a rejeição das elites

usa-flag«Tudo isto criou um vazio junto das bases operárias, das classes trabalhadoras, dos pobres, dos desempregados, dos desiludidos, que, à falta doutras alternativas, passaram a estar recetivos aos discursos antissistema, quando não xenófobos e primários, pois nada mobiliza melhor os desesperados do que ideias, não necessariamente certas, mas simples de fixar e repetidas até à exaustão.

Numa primeira e ainda muito sumária análise à votação de Trump é justamente o voto em massa do operariado branco inquieto com o seu futuro (nomeadamente em indústrias tradicionais como a siderurgia ou o automóvel) que, juntamente com o voto rural dos estados das montanhas e das planícies do interior e acrescido do voto ultraconservador dos cristãos fundamentalistas ajuda a explicar a diferença de votação relativamente a Hillary Clinton. E que passou pela viragem eleitoral em estados que nos últimos anos tinham votado Obama e pelo operariado a ignorar as diretivas sindicais pró-Hillary.» (daqui)

imperador francesco

totti«É isto que faz de Francesco Totti, que hoje completa 40 anos de vida, um jogador para lá do futebol moderno, do negócio fácil, dos negociadores implacáveis, da camisola descartável, do símbolo pisado, do desgosto dos adeptos. É isto que faz de Francesco Totti, que hoje celebra uma vida dedicada a Roma, o último reduto dos que acreditam que um clube é muito mais do que uma sociedade anónima, que uma curva não é uma mera bancada mas um lugar permanente de peregrinação, de crença, de amizade, de cumplicidade, que um Capitão é a encarnação do símbolo do clube em campo, no treino, no banco e no balneário, e que é sempre o primeiro a entrar no aquecimento e o último a sair, sobretudo quando perde.» (daqui)

sim, é possível!

Duarte-Marques-PSD

«(…) apesar de todos os condicionalismos históricos e culturais, é possível um candidato de direita vencer em qualquer concelho do território nacional. Para tal, basta ter qualidade, credibilidade e ser melhor do que os outros. Este resultado prova, mais uma vez, que os eleitores portugueses são inteligentes, que sabem distinguir os atos eleitorais e que não votam apenas no candidato do seu partido. Mais uma boa lição, que todos devemos reter.» (daqui)