Sr. Almeida

bilharFoi hoje a sepultar no cemitério de Almeirim, com 90 anos de idade, o senhor José Pratas d’Almeida.

Não sei precisar quando o conheci, mas creio que foi por volta dos meus 20 anos, algures na década de 1990. Durante uma década mantivemos uma relação de alguma proximidade, baseada no respeito mútuo que existe entre duas pessoas com uma significativa diferença de idades e que foi cimentada no gosto que ambos tínhamos pelo bilhar.

Não digo diariamente, mas com bastante regularidade, nos encontrávamos no salão de jogos Grupo 4 para uma hora de carambolas. É claro que, na maioria das vezes, o perdedor desses encontros era eu mas, muito do que aprendi neste jogo, se deveu a ele.

Depois, o salão de jogos encerrou e Almeirim deixou de ter um ponto de encontro para os amantes do bilhar. E foi aí que os nossos encontros passaram a ser cada vez mais fortuitos. Até que a idade começou a pesar-lhe e eu deixei de o ver, julgando até que já tinha falecido. Mas ainda há uns dias atrás, ao recordar esses tempos passados com uns amigos meus, o seu nome surgiu na conversa.

Obrigado, Sr. Almeida, pelas horas que passámos juntos e pelos seus ensinamentos! Que descanse em Paz!

À sua família, as minhas sentidas condolências!

Anúncios