boas e gratas memórias

Finais de 1988. Época do ano propícia, pela sua proximidade ao Natal, à edição de material discográfico. Só para citar alguns exemplos, os U2 tinham editado o duplo álbum “Rattle And Hum”, com faixas gravadas em estúdio e outras em espectáculos realizados nos Estados Unidos, Tina Turner, o também duplo ao vivo “Tina Live In Europe” e os Marillion “La Gazza Ladra”. Por terra lusas, também o Trovante editou o duplo álbum “Ao Vivo no Campo Pequeno”.

Os Pink Floyd também não escaparam a esta euforia de lançamentos discográficos. Depois de, em 1987, se terem reunido (sem Roger Waters) e editado “A Momentary Lapse Of Reason”, embarcaram numa digressão mundial que, por esta altura, seria dada a conhecer através dum também duplo álbum.

Na altura, com 16 anos e participar no projecto Emissora Voz do Sul (rádio pirata de Almeirim, cujos estúdios se localizavam na Rua Condessa da Junqueira, perto do Depósito da Água), fiquei a conhecer algumas das músicas deste grupo. Para mim, Pink Floyd até então resumia-se a “Another Brick In the Wall” (hey teacher, leave the kids alone). Desconhecia “Wish You Were Here”, “Comfortably Numb”, “Time” e todos os grandes clássicos. Nesse verão, alguns dos companheiros de rádio mais velhos (dotados duma cultura musical mais eclética) tinham-me emprestado alguns LP’s. Lembro-me, como se fosse hoje, da primeira vez que ouvi “Atom Heart Mother” (com a vaca na capa). A primeira faixa era, afinal, todo o lado A do disco; nunca tinha visto semelhante coisa e, muito menos ouvido!

O interesse foi crescendo e eu fui acompanhando as notícias sobre a edição desse disco ao vivo. O lançamento estava previsto para o dia 22 de Novembro. E seria algo de grandioso pois, até aquela data, os Pink Floyd nunca tinham editado um disco inteiramente ao vivo.

Ora, chegado o dia, mal podia comigo de excitação. Afinal de contas, seria o meu primeiro disco! Ainda por cima, naquele dia não tinha aulas durante a tarde, o que significava que ia para a rádio. E nada melhor do que estrear o novo disco, passando-o na íntregra!

delicate-sound-of-thunder-vinil.jpgSaí das aulas na Escola Secundária Dr. Ginestal Machado (em Santarém) e, antes de apanhar o autocarro, dirigi-me à saudosa Frilux (na Rua Serpa Pinto), onde comprei o duplo álbum “Delicate Sound Of Thunder” por 2.500$00.

(Faço aqui um intervalo para esclarecer que, na EVS, os mais velhos tinham programas de autor, preparados em casa e que iam para o ar em “horário nobre”. Os mais novos, preenchiam a grelha no período da tarde).

Não me recordo de todos os pormenores; apenas sei que, durante aquela tarde, “Delicate Sound Of Thunder” tocou pela primera vez na EVS. Os quatro lados na íntegra! Foi um alegria imensa para um jovem de 16 anos estar a dar a conhecer, pela primeira vez, uma edição discográfica.

O pior foi que “estraguei” a emissão a um dos mais velhos. O Zé Pereira tinha o seu programa de autor preparado para dar a conhecer, também ele em primeira-mão, este disco. Acho que, na altura, não deve ter gostado muito da minha ideia.

Belos tempos aqueles, que ficarão para sempre na memória de quem por lá passou. E que me “infectaram” com o vírus da música e da rádio. (publicação original aqui)

Anúncios

5 dias… 5 musicas especiais (5)

Quinta e última música do desafia: “Great Gig In The Sky”, Pink Floyd.

Como não podia deixar ser, os Pink Floyd tinham de fazer parte desta lista e a escolha recaiu nesta como podia ter recaído noutra qualquer. Uma música simples, em que o piano e a voz sobressaem aos demais instrumentos mas que, simultaneamente, possui uma energia imensa!

louder than words

«We bitch and we fight
Diss each other on sight
But this thing we do
These times together
Rain or shine or stormy weather
This thing we do

With world-weary grace
We’ve taken our places
We could curse it or nurse it and give it a name

It’s louder than words
This thing that we do
Louder than words
The way it unfurls
It’s louder than words
The sum of our parts
The beat of our hearts
Is louder than words
Louder than words

The strings bend and slide
As the hours glide by
An old pair of shoes, your favorite blues
Gonna tap out the rhythm
Let’s go with the flow, wherever it goes
We’re more than alive

It’s louder than words
This thing that we do
Louder than words
The way it unfurls
It’s louder than words
The sum of our parts
The beat of our hearts
Is louder than words
Louder than words»