o essencial

josé manuel fernandes«Em 2015, ano em que a economia cresceu 1,6%, proclamava-se que era necessário “romper com a resignação perante o empobrecimento”. Agora que se prevê que a economia cresça ainda menos em 2016 e 2017 justifica-se tudo com a “conjuntura económica internacional”, o eterno bode expiatório dos socialistas.

O essencial não é desenhar uma política coerente e apontar um rumo para o país — o essencial é ter sempre um discurso afinadinho que permita justificar os fracassos e as reviravoltas. É só isso que, de resto, se consegue espremer das muitas entrevistas que primeiro-ministro e vários ministros deram nas últimas semanas.

O essencial é também manter o barco à tona de água, o que se faz atirando para o futuro os problemas e esperando que o medo do regresso ao poder do PSD e do CDS contenham as ambições de um Bloco de Esquerda que já anunciou que vai aprovar um orçamento que não é de esquerda e acalmem um PCP cujos sindicalistas estão estranhamente silenciosos mesmo quando é evidente a degradação dos sacrossantos “serviços públicos”.» (daqui)

Anúncios